UMA PALAVRA DE “DESESPERANÇA” PARA O SEU CORAÇÃO

Antes de tudo, calma! Não se assuste com o título ou com a imagem! O intento não é trazer abalo a ninguém! Muito ao contrário. Tenha paciência e perceba isso na leitura.

Vamos lá…

Estava eu, Alandati da Silva Sauro, envolto aos meus alfarrábios, quando de repente me deparei com um papelucho curioso, que me fez meditar em uma questão interessante, a qual me motivou a escrever o presente artigo.

Mas, antes de adentrar no tal “bilhetinho misterioso”, eu gostaria de registrar um fato que pode não ser regra geral, mas sinceramente ocorre comigo, e acredito que possa também ensejar correspondência com os irmãos que nos leem.

Via de regra, quando alguém se propõe a manusear antigos, sejam livros, fotos, documentos ou objetos, há um objetivo específico para isso, e dependendo das circunstâncias fáticas de cada um, notadamente relacionados à organização no arquivo, aliadas à disciplina necessária, essa empreitada pode durar apenas alguns minutos.

Contudo, em vários casos, onde me incluo, o sujeito, ao se deparar com cada item antigo do seu arquivo, permite ser desencadeada, em seu cérebro, uma série de “pontes” de memória, que fazem uma reconstituição da situação fática relacionada àquilo, contextualizando no tempo e no espaço do passado.

Será que isso ocorre só comigo? Pode ser, mas o fato é que o serviço, que demandava questão de minutos, pode durar horas, ou até mesmo um dia inteiro; e em alguns casos extremos, até vários dias, pois cada elemento observado tem a sua história.

Pois bem, após esse introito, entramos então no tal do “papelzinho secreto”, referido no início. Sem mais delongas, trata-se do convite utilizado pela obra gedeltiana, a seita maranata, cujo título é “UMA PALAVRA DE ESPERANÇA PARA O SEU CORAÇÃO”.

Gostaria então de compartilhar com os irmãos o que senti quando encontrei diversos desses “bilhetinhos”, sortidos de cores, impressos em papéis de qualidades variadas, e com carimbos referentes a lugares distintos (cidades, bairros, estados da federação), para eventos em datas específicas, em meio aos meus arquivos antigos.

Por óbvio, nem todos os itens antigos, embora façam parte da história do possuidor, trazem boas lembranças, pois alguns, ao revés, testificam um gosto amargo na boca, assim que remontam os fatos relacionados. Sem dúvidas, os elementos que dizem respeito ao gedeltismo, sobretudo para quem se evadiu do “ninho” ofídico da citada seita, não são de bom saudosismo para ninguém, sendo o “convitinho esperto” um exemplo dessa sensação desagradável.

A primeira consideração, em relação ao bilhetinho secreto em comento, diz respeito ao próprio título. Como uma organização empresarial, denominada pelo MP como criminosa, com estrutura piramidal, portanto desigual; envolta em diversas heresias e apostasias, politicagens, desvios de verbas públicas e particulares, e ainda apresentando diversos desvios de condutas dos seus gestores, diga-se de passagem, carregando título de pastores, e que ainda por cima usa uma roupagem de “igreja”, pode ofertar ESPERANÇA para quem quer que seja?

Fala a verdade! Só pode ser brincadeira! A esperança, vinda da obra, seria oriunda de qual fonte mesmo? Do clamor pelo sangue de jesus, que não foi capaz nem suficiente em livrar dos escândalos e desvios? Do M.A.L. – mistério além da letra, que descontextualiza os registros sagrados? Do sectarismo? Da falta de transparência? Da avareza do líder e de seus asseclas? Dos “meios”, podendo indicar metade, como meia-verdade que é a doutrina decorrente, e não veículos para a Graça, que é dada exclusivamente por fé? Do facciosismo? Do preconceito e da discriminação? Da politicagem? Da infalibilidade dos “ungidos” do sinhô? Da bibliomancia, que parece substituir o dom de discernimento de espíritos? Ou seria da revelação do sinhô, que não foi útil em desvendar o mistério para os membros, a não ser pelo debruçar dos agentes públicos e dos jornalistas, curiosamente em cima dos “papeizinhos antigos” da obra?

Outro fato interessante, que já estava esquecendo em narrar, para não ser infiel ao meu registro do momento em que achei um “bilhetinho”, reside no fato de meditar que o seu conteúdo nunca foi questionado por um bom formatado da obra, mesmo movimentando pilhas e mais pilhas dos convitinhos da obra, em madrugadas, manhãs, tardes e noites, fazendo serenatas, “evangelizações” (qual evangelho?!) em massa ou individuais, entregando em mãos ou colocando em caixas de correios ou debaixo de portões ou portas (Ixi, confessei algo que não podia ter feito, pelo entendimento de obra! Tô caído mesmo!).

Mas, gostaria de fazer um desafio corajoso, arriscando-me ainda em perquirir os irmãos, que movimentaram os convites por longos anos de suas vidas, se realmente têm o mínimo conhecimento do seu conteúdo, que é repetido em toda “evangelização” realizada na obra. Posso estar errado, mas a esmagadora maioria dos “soldados”, sob o tacão dossinhorrevelô, nunca sequer leu o que estão entregando de mensagem aos possíveis necessitados; ou, se alguns leram, nunca se permitiram examinar se a tal “palavra de esperança” estaria mesmo preenchendo o vazio do coração de alguém. Eu, infelizmente, era um desses últimos!

Solicito que os irmãos não desconsiderem o contexto atual da obra quadragenária, que foi registrado, en passant, no presente artigo, e continuamos então a nossa tarefa proposta, qual seja, a de analisar o texto do convitinho da obra, deparando-nos com a primeira parte do corpo interno do “papelote”, o qual transcrevemos abaixo, ipsis litteris, inclusive com erros de português:

“A sua alma é imortal. Ela jamais morrerá. Mas ao separar-se de seu corpo, dois destinos haverá para ela: O CEU (A ETERNIDADE COM DEUS -a Felicidade Eterna) ou a ETERNIDADE SEM DEUS (o sofrimento eterno). E apenas uma pessoa neste mundo capaz de escolher o lugar para onde você irá VIVER eternamente. Você dirá que esta pessoa é DEUS, mas Deus diz em sua Palavra, a Bíblia Sagrada, que esta pessoa e Você.

SÓ VOCÊ PODE ESCOLHER OU DETERMINAR O DESTINO ETERNO DA SUA ALMA

Você poderá, se quiser, escolher AGORA, o CÉU, mas se achar que pode deixar o assunto para outra hora, já esta escolhido a eternidade sem Deus para você; se você morrer agora, irá para lá para todo sempre. Não morrendo agora, estará andando a eternidade sem Deus.”

Desse primeiro destaque, percebemos que a mensagem é clara, SEM CITAÇÕES BÍBLICAS, em tentar transferir ao homem a responsabilidade exclusiva em escolher entre a Eternidade com Deus e a Eternidade sem Deus. A forma que isso é feito é extremamente arrogante, com doses cavalares de terrorismo psicológico. O intento, por trás da letra, sorrateiro, sútil, é destruir psicologicamente qualquer leitor, fazendo-o acreditar que, se morrer, vai para o inferno, e se viver, estará caminhando para o lugar de fogo e enxofre. Parece que, nesse momento, o Lord Darth Vader, da saga Jornada das Estrelas, professa a sua célebre frase, com a voz sombria: “Luke, meu filho, renda-se ao lado negro da força!”, tamanho agouro que traz o texto. Por isso a imagem ilustrativa, e o título.

Outro detalhe, ainda sobre essa primeira parte é que a mesma descarta totalmente as ideias calvinistas, defendidas pelo teólogo reformista, Calvino, que atribui ao Eterno Deus toda responsabilidade na Salvação do homem, com sua tese denominada de predestinação (leia a respeito da análise do termo utilizado na Bíblia, com base inclusive na língua original em http://www.gotquestions.org/Portugues/predestinacao.html). Ademais, já adiantando um detalhe futuro desta nossa abordagem, mas que volveremos a comentar, citamos:

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;”

Efésios2:8-9

Esta citação bíblica é apostada logo após o texto que destacamos primeiro, inclusive na mesma página, como 2º ato a ser feito para optar pelo “Céu”, configurando-se em uma tremenda contradição. O que seria o certo: você é totalmente responsável pela escolha, como quis ser demonstrado no início, ou “isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras (como o gedeltismo), para que ninguém se glorie.”, conforme o texto bíblico, com destaques e comentário nossos?

Note que, quando o autor do texto do convite, certamente não inspirado pelo Espírito Santo de Deus, o que já é temerário em ser concebido em um convite ao Evangelho de Cristo, quem dirá ser seguido ou multiplicado, quando enfatiza que a Bíblia Sagrada corroboraria a tese da salvação por exclusivo livre arbítrio do homem, ele não consegue provar isso com nenhum texto das sagradas escrituras. Oportunamente repetimos, para dar ênfase, in verbis:

E apenas uma pessoa neste mundo capaz de escolher o lugar para onde você irá VIVER eternamente. Você dirá que esta pessoa é DEUS, mas Deus diz em sua Palavra, a Bíblia Sagrada, que esta pessoa e Você.” (grifo nosso).

Quem quiser se aprofundar nessa questão que engloba calvinismo, livre-arbítrio e arminianismo, a qual promoveu e promove ainda debates acaloradíssimos na história cristã, pode ler um bom texto em http://resistireconstruir.wordpress.com/2012/08/03/livre-arbitrio-predestinacao-e-arminianismo-a-luz-das-escrituras-parte-ii/, o qual é rico em demonstrar que o assunto não é tão simplório assim, como os “donos da revelação” parecem indicar.

Em suma, além do que expusemos até aqui, o efeito final, que é desejado pela exposição da primeira parte textual que separamos, traz eco em uma pergunta, que emerge da forma como é conduzido o trabalho dos súditos do palácio da rainha desfigurada, a ser despertada no leitor, e qual é?

– COMO EU FAÇO PARA NÃO ESTAR A CAMINHO DA ETERNIDADE SEM DEUS, ESCOLHENDO AGORA (termo intencionalmente apostado em caixa alta, para dar ênfase no imediatismo, urgência) O CÉU?

O leitor incauto, que não ouviu falar da difamada seita maranata, a essa altura, pode tomar a seguinte postura: virar o convite de volta na parte da frente, e tentar observar que “igreja” é aquela, pois parece ser a solução para um problema que colocaram na sua cabeça e não admitido até então, que ele pode estar com o pé no inferno (eternidade sem Deus), se não for para perto daqueles que parecem ter tanta certeza que estão do lado do bem (eternidade com Deus). Olha o canto da sereia sendo entoado nos seus primeiros acordes! Vale aqui o engodo promovido pela máxima que se utilizam: compram dificuldades, para venderem facilidades! Cuidado!

No trecho a seguir, extraído do convite para a obra, vemos um esforço do autor, não inspirado, tentar eleger o passo-a-passo para responder essa pergunta. Vejamos a transcrição de cada item, comentando cada um:

“Certamente você quer o Céu. E para que você tenha certeza de que vai gozar o Céu, o que você deve fazer:

1º) Reconhecer-se pecador. Deus diz “Todos pecaram e destituídos estão da gloria de Deus” Rm. 3:23;”

O primeiro passo para escolher o Céu, segundo a revelação da obra, encontra indicação no texto de Romanos 3:23. O texto é verdade? Sim, pois expressa a Palavra, contudo há uma sutil discrepância aqui, exatamente atacando o que foi dito no início. Medite comigo: se alguém escolhe viver eternamente sem Deus, deixando o assunto para outra hora, terminologia utilizada, como pode estar previamente, pelo fato de pecar, destituído da Glória de Deus? Parece que a destituição antecede a escolha, e por certo independe da mesma. Para quem não entendeu ainda, resumo:

Premissa 1: Somente o homem pode escolher entre “viver eternamente com Deus” e “viver/morrer eternamente sem Deus”;

Premissa 2: Todos os homens estão previamente destituídos da Glória de Deus, ou seja, já vivem, ou morrem eternamente sem Deus;

Conclusão lógica: a escolha de morrer eternamente sem Deus não é minha, pois já ocorria antes mesmo de me serem oferecidas as alternativas. A não ser que haja graduação em viver muito ou pouco distante de Deus, mas isso pareceria razoável para o homem, e jamais plausível sob o ponto de vista do Soberano. Ou se está com Deus ou se está sem Ele, não havendo meio termo.

Por outro ângulo, dentro do pano de fundo que sugeri não esquecerem, perguntamos se os da cúpula e seus asseclas já conseguiram reconhecer que pecaram, seguindo o conselho que dão aos outros como “primeiro passo para o Céu”? Ah???

O passo dois é:

“2º) Reconhecer-se que você não pode entrar no Céu por seus esforços próprios. “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” Efesios 2:8-9;”

Além do flagrante contrassenso apontado, versando sobre quem de fato seria o responsável pela salvação, se Deus ou você, ora, esse texto contradiz totalmente o que é praticado na obra, inclusive abordado no último texto do Ézio publicado aqui mesmo, neste blog (https://diganaoaseita.wordpress.com/2013/11/19/fe-unico-meio-de-graca-ezio-luiz-pereira/). Ironizando, caberia aqui, em tese, o acionamento do PROCON ou de qualquer outro órgão de defesa do consumidor, pois é clarividente a ocorrência da “propaganda enganosa”, conduta combatida no nosso ordenamento jurídico. Brincadeiras à parte, mas falando sério: parece piada ouvir que, na obra, vive-se na íntegra o que predispõe Ef. 2:8-9, considerando a doutrina herética dos “meios de graça”, e ainda levando em conta os “levantamentos” daqueles que “entendem obra”, e fazem por onde serem exaltados no gedeltismo, sob critérios subjetivos de “merecimento”, que só quem andou pelas dependências do palácio do reino quadragenário pode conhecer.

O terceiro ponto é curiosíssimo:

“3º) Crer que somente Jesus Cristo pode levar você ao Céu. Jesus diz em João 14:6 – “Eu sou O caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim”. Jesus não disse “um dos caminhos” mas O Caminho;”

Hilário é escutar que somente Jesus Cristo pode levar para o Céu, quando essa sentença é emergente da obra, sabe por quê? “Quem não for dessa obra, um dia vai vir para ela”, “essa obra é filho único – sinônimo de unigênito”, “deve-se comer obra”, “respirar obra”, “viver obra”, “essa obra é tudo para nós”, “quem não entender essa obra, não merece essa obra”. ”. Você já escutou algumas dessas barbaridades? Jesus estaria nisso? É o caminho que Ele ensinou? Jesus estaria transmitindo vida por meio dessas declarações malignas: “quem sair dessa obra, vai morrer comido de bicho”, “quem falar mal dessa obra, vai cair do avião”, “quem desrespeitar essa obra, morrerá de câncer”, “quem vai contra o corpo, é refém dele”, “quem for egresso da obra é caído”? Há verdade em ouvir as frases: “obra é obra, o resto é sobra”, “obra é a nossa, o resto é movimento, religião, mescla, tradição”, “o clamor pelo sangue de jesus é arma infalível, mas para o seu “pai adotivo”, líder da seita, é como ave-maria”, “o diferencial desta obra é a revelação, mas para ensinar no maanaim, segundo o líder-mor da obra, não é preciso ter revelação”, e outras?

O quarto passo seria:

“4º) Aceitar Jesus Cristo como seu único Salvador. “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo”. At. 16:31.”

Primeira pergunta: por que omitiram o final do verso “tu e a tua casa”? Vejamos o verso completo:

“E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.”

Atos 16:31

Aí, apesar da omissão, parecendo ser tendenciosa e sempre digna de crítica, mas, olhando pelo lado bom, se é que tem, talvez aqui os “donos da obra” tenham sido mais honestos, pois nos domínios do gedeltismo, realmente não há preocupação alguma com a família, representada na expressão “tu e a tua casa” de Atos 16:31, pois há diversos casos de membros, inclusive pastores, com amantes, com filhos fora do casamento, desprezo com relação aos parentes, abandono dos lares, para servir o sinhô, na obra, enfim, aí eles acertaram nessa omissão.

Convém esclarecer que o intento aqui não é desacreditar os textos bíblicos que foram apostados no convite em destaque no artigo, pois são citações bíblicas, mas apontar as inúmeras discrepâncias entre o que é sugerido como “palavra de esperança” para os outros de fora, além de serem imprecisas, teologicamente e teleologicamente falando, como demonstramos, não condizem, definitivamente, com o que se vive dentro da seita maranata, o que consequentemente evidencia uma postura regada de muita hipocrisia.

Dito isto, fechamos nossa análise com o trecho final, o qual induz o leitor a um suposto diálogo com o texto, e que busca vencer uma possível resistência em atender os apelos de aceitar “ir para o Céu AGORA”. Vejamos:

“Mas dirão alguns: Sou jovem e deixaria isto para depois. Gostaria de dizer duas coisas:

  • Não precisa ser velho para esta próxima da eternidade;
  • As profecias da Bíblia dizem que Jesus voltará novamente; e estas profecias se cumprem nos nossos dias. Como estará a sua vida naquele dia? Pense nisso. Pois o único meio de alcançar esta benção é JESUS. “Eis que venho sem demora” Apoc. 22:7.

“Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”. Jo. 3:36.”

Fechamento com “chave de ouro”, usando a Palavra, mas contextualizando dentro de um terrorismo psicológico e escatológico, que mais afasta do que aproxima. E se, por um acaso, alguém se sentir propenso a querer ir para o “Céu”, o que terá que fazer? Um doce para quem responder certo…

Resposta na última página, pois é feito um merchant da obra, com direito a lema, brado, logotipo, e ainda é feito “um convite especial”, para participar de um evento na obra, no local e hora apostados ali.

Pergunto se alguma novidade é comentada nesses eventos? Pergunto ainda se a obra teria mesmo alguma esperança para oferecer para alguém, visto que não se consegue vislumbrar nenhuma perspectiva de mudança para ela mesma? Diante de tantos escândalos, será que consegue-se ter esperança que tudo vai acabar bem? Uma vez confiando na punição dos que, em tese, cometeram crimes, haveria esperança em ser visto o fim das heresias, apostasias, mentiras, dons falsos, bibliomancia, mistério além da letra, clamor pelo sangue de jesus, privilégios injustos, desvios de conduta, apadrinhamentos, politicagens, discriminações, preconceitos, adultérios, idolatrias, sectarismo, facciosismo, terror psicológico, proselitismo, utilização de dogmas?

Mas, eu gostaria agora de dar uma palavra de esperança para o coração da obra, tratando alegoricamente como uma árvore:

“Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos.”

Jó 14:7

O texto, claramente, fala de benção, mas sob uma condição explicitada no versículo seguinte:

“Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó,”

Jó 14:8

Será que os “donos da obra” teriam condições de permitir que as raízes da obra envelheçam na terra, a ponto de que o tronco (estrutura piramidal) se esfarele e morra no pó? Será que há esperança em ver ARREPENDIMENTO na liderança do gedeltismo e em alguns dos asseclas que erraram? Haverá por consequência, pedido de perdão aos membros e à sociedade por todos os erros que foram evidenciados?

O texto que citamos, continua prometendo bençãos, em sendo aceita essa condicional:

“Ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como uma planta.”

Jó 14:9

Olha aí, não era nem a intenção inicial, mas acabei por aconselhar, em passo a passo também, de como a obra possa vir a ter alguma esperança, em meios aos escombros que se encontra.

Termino com um último conselho direcionado: “Beth, você precisa revisar esse texto do convite UMA PALAVRA DE ESPERANÇA PARA O SEU CORAÇÃO e outras coisas da parte “espiritual”, pois essas coisas, ao invés de promoverem benefício  em favor da obra, o efeito é de marketing negativo. Não adianta nada o esforço de tentar recuperar a imagem da obra, promovendo vários eventos, de mega, ultra, big, plus evangelizações, ou festas de aniversário 500 vezes no ano, se o alimento a ser oferecido às ovelhas é pasto seco, a começar pelo convite! Considere a real situação de estar assessorando uma organização empresarial, mas eclesiástica, o que vale dizer que necessário se faz observar as medidas desse último departamento, para não comprometer o todo. Fica a dica! E se usar, pode dizer que foi ossinhôquerrevelô, eu não vou reclamar autoria não”.

Fiquem todos com a Graça e a Paz do Senhor Deus!

Alandati.

PS: Estrategicamente, deixei para o fim comentar o slogan da capa do convite: “A Resposa aos seus anseios”. Me ajuda aí, vai: a obra que seria essa resposta? Só rindo, né?

Anúncios

4 Respostas para “UMA PALAVRA DE “DESESPERANÇA” PARA O SEU CORAÇÃO

  1. Olá! Como está os processos contra esta turma das fraudes, dos desvios, das maracutaias???? Gostaria de saber em que ponto estas????? Salatiel Gostaria de saber Goist

    • Irmão svpaz, prazer em tê-lo aqui!

      O serviço “meteorológico” está prevendo a ocorrência de muitos “tsunamis” ainda a respeito do caso maranata.

      Parece que as previsões estão certas, pois vemos os seguidores do gedeltismo em um “movimento” tão intenso, no que diz respeito ao aniversário de 45 anos, em diversas cidades, que parecem indicar que vêm prisões por aí…

      Além disso, o MPF ainda não apresentou denúncias a respeito das investigações na seara federal, ou seja, vem chumbo grosso ainda nessa área.

      Aguardemos…

      Graça e Paz,

      Alandati.

  2. Há uma enorme diferença entre anunciar as boas novas de salvação e fazer “recrutamento.” Os eventos da ICM são para recrutar e não para evangelizar. Neles, não se prega o Palavra de Deus a fim de que as pessoas conheçam o evangelho (simples) de Jesus, e sejam encaminhadas para uma igreja cristã (Batista, Assembléia, Metodista, etc.) ou qualquer outra comunidade mais próxima da sua casa onde se prega a fé em Cristo. Mas faz-se eventos para que as pessoas se “convertam” ao sistema da Maranata e sejam escravos dele, “…percorrem o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós” Mt. 23:15.

    • Nobre irmão “Carioca da gema do ovo”! Graça e Paz! Prazer em tê-lo aqui!

      A tua síntese é perfeita, pois realmente esse é o pensamento da empresa “maranatha church coorporation”, o de recrutar. Diante disso, qual esperança o recrutador poderia oferecer para um candidato?

      Cada um responda…

      Fiquem com Deus,

      Alandati.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s